É Amor ou Obsessão?

Eis a questão. Atualmente muitas pessoas procuram em relacionamentos algo que falta dentro de si, carência, um dos principais motivos, acha que, encontrando um ‘’amor’’ irá superar a falta de afeto consigo mesmo, e muitos querem se relacionar para trazer somente bem a si, ser amado, e agir de forma egoísta, querendo sempre sua felicidade e esquecendo que tende fazer o outro feliz também.(Disse um pouco mais sobre isso no post anterior, rs)
O que quero dizer quando digo ‘’agir de forma egoísta’’? Muitas das pessoas que namoram querem se satisfazer o tempo todo, achando que a todo o momento tem direito a tudo, isso desde a época antiga é assim, as pessoas querem limitar o outro o que deve, ou não fazer, acho sim, que tem que ter um respeito, porém, não temos o direito de querer ser o dono do outro, é somente um companheiro para dividir seus momentos bons e ruins, quando está em um relacionamento tem sim que ter liberdade, não libertinagem, amar é confiar, a partir do momento que há desconfiança, não há amor, a não ser que, você fique obcecado pelo parceiro, e obsessão não é amor, sim, loucura.




 Pode haver um risco quando a pessoa diz amar demais, muitas vezes essas obsessões são faltas de amor a si, não tem amor próprio, acha que, dizendo amar o outro irá superar a falta que somente amando você mesmo será o suficiente, não devemos nos apegar tanto pelas pessoas, ouço muito as pessoas dizerem ‘’Se você não existisse minha vida não teria sentido’’ Teria sim, porque se não fosse esta pessoa, seria outra, então faça o sentindo da sua vida você, se amando em primeiro lugar, sem ser dependente de alguém ou algo, quando você tem autoconfiança você é capaz de confiar em todos, e quando você tem amor você não se obceca por alguém, pois amor é qualidade de coisas boas, não de coisas que nos afunda, ou nos traga coisas ruins, em primeiro lugar ame, em ultimo ame, se for o caso, ame de novo.

‘’Quem ama não pensa em si, mas pensa sempre nos outros. No amor tudo se dá e tudo se reparte. O menino tinha tanta vontade de comer uma maçã e, ao recebê-la, lembrou-se da mãe. Materialmente pobre, mas rico de amor. Os bens materiais têm seus preços estabelecidos pelo homem, mas o tesouro do amor possui um valor ilimitado. ’’


Nenhum comentário

Postar um comentário